domingo, 30 de julho de 2017

Hora de apenas silenciar...



Há momentos em que o corpo se desfaz
Em que a alma chora
Para verter em lágrimas o que dói.

A gente olha e não entende
Refleti, pensa e não compreende
A diferença que há do que sente para o que vê
Algo acontece por dentro
E outro diferente acontece do lado de fora
O que fazer?
O que dizer?
Onde tocar e procurar uma resposta?

Hora de silenciar
Fechar as portas
Se aconchegar no ninho
Fechar os olhos
E devagarinho sentir a respiração
Esvaziar a mente
Relaxar...

Hora de se preservar
Deixar que o tempo
Mostre qual caminho tomar
Hora de simplesmente ser
Andar sem ver
Viver sem ter
Por instantes deixar de sentir
Dar um tempo para o coração respirar.

Momentos únicos
Que ensinam que é hora de parar
Hora de frear o desejo
Hora de guardar a vontade
E viver sem pressa de chegar
Hora de andar em passos lentos
Ouvindo apenas o movimento do coração.

Hora de ser mundo
Hora de ser eu
Por apenas um segundo.

Tânia Gorodniuk


Nenhum comentário:

Um dia o que vive dentro aflora em pleno sentimento...

Pouco importa o que o corpo toca Quando na alma transcende O que por dentro nos faz. Sinto o que ainda não chegou Mas em outra dimen...