quinta-feira, 20 de julho de 2017

Confesso...


Confesso
Tenho medo
De acordar num sopro
E perder o gosto de amar
Sentir a vida tocar
Além de mim.

Tenho medo de não mais tocar o que me faz
Medo de perder no vento
O que vibra por dentro.

Tenho medo de não mais conseguir remar
De não mais alcançar no horizonte
A esperança que me anima
A força que determina
O meu querer.

Tenho medo de não mais ser
O que ontem fluia
O que me conduzia
O que me trouxe até aqui.

Tenho medo
De um dia
Não mais sentir
O amor que cultivo
Meu fiel amigo
Meu doce abrigo.

Confesso
Tenho medo
De saber que a minha humanidade
É maior que o meu sentir.


Tânia Gorodniuk




Nenhum comentário:

A minha casa possui asa, quando o vento toca, leva...

Vou contar O que rege a terra O vibra no ar O que no mar profundo Vive Meu mundo. A vida se faz num querer Num sentir Doce Ser...