sexta-feira, 28 de julho de 2017

Amor, um sentir que flui a cada olhar...


O amor descrito pelo grande Luís Vaz de Camões em "Sonetos", segue apenas um trecho:

"Amor é fogo que arde sem se ver; 
É ferida que dói, e não se sente; 
É um contentamento descontente; 
É dor que desatina sem doer. 
É um não querer mais que bem querer; 
É um andar solitário entre a gente;
É nunca contentar-se de contente; 
É cuidar que se ganha em se perder..."

Amor é um passáro
Que chega com o vento
Encontra abrigo,
Pousa,
Aconchega,
Faz seu ninho.

Quando percebe que o que trouxe germinou,
Voa em outra direção,
Para semear mais amor.

O amor é pleno movimento,
Tem seu começo,
Mas nunca tem fim.

O amor abre portas,
Desenha janelas,
Esculpe joias raras,
Dissipa sombras,
Ilumina.

Constantemente a vida nos mostra,
Evidencia,
Que amar é um voo sem freio,
Sem destino ou direção.

Amar é deixar fluir
Sentir e eternizar
Nas linhas do corpo, o gosto
Nas linhas da alma, o sopro
E nas linhas do coração, o suspiro
Que o tempo jamais irá apagar.

Mais uma vez voei
Ao sentir o que por dentro vibra
Desde que a vida ousou
Conectar o céu à terra.


Tânia Gorodniuk



Nenhum comentário:

Quando as mãos se unem...

A união das mãos Inicia o contato Com a nossa energia interior Assim começamos a conversar Expor nossos anseios Nossos medos Tent...