terça-feira, 11 de julho de 2017

A simplicidade da vida



Nada como alimentar a mente
Adquirir conhecimento
Agregar novos conceitos
Enaltecer valores já existentes.

Me deparei com a seguinte frase:

"Quando não exigimos nada da vida, tudo se torna uma dádiva Divina capaz de nos arrebatar em êxtase."
(Trecho do livro A Sabedoria do Eneagrama de Don Richard Riso e Russ Hudson da Editora Cultrix)

A gente acredita piamente que algo irá acontecer
Algo inesperado
Inusitado
Surpreendente
Pois assim gravamos na mente ao longo do tempo
Frases que nos amarram, travam e não nos deixam seguir:

"A vida dá trabalho."
"Nada vem fácil."
"Dinheiro não é bom."
"Para conquistar algo é preciso penar."
"A estrada é solitária, não confie em ninguém."

Lamento desapontá-los:
A vida é simples,
A felicidade caminha junto,
Dinheiro faz parte,
A conquista se faz num sopro
E a caminhada se faz na união.

O que trava a humanidade são códigos impostos por repetição ao longo do tempo, igual quando a gente aprende a falar.
Escuta até cansar e quando percebe já está repetindo tudo sem perceber.

Fazemos isto até os dias de hoje, repare que sempre recriminávamos nossos pais pela conduta, e hoje pais também muitos repetem e fazem o mesmo.

Hora que quebrar a cadeia deste código ultrapassado e viver plenamente o agora na sua total simplicidade.

Enquanto a gente espera algo maior
A vida acontece em pequenos momentos
E se faz plena em gestos únicos.

A maior riqueza da humanidade está na simplicidade
Está em usufruir de tudo o que a vida traz a cada amanhecer
Em tudo o que a vida toca em cada sentido
Em tudo que o amor provoca quando toca o nosso olhar.

É rico aquele que sorri com o que possui
É rico aquele que doa o que aprendeu
O amor é como um rio
Começa em algum lugar
E corre sem fim até se perder no mar.

O autoconhecimento é infinito
Quando a mente se abre
E explora o que por fora aflora.


Tânia Gorodniuk




Nenhum comentário:

Felicidade é um sorriso!

Lá fui eu viajar nas ondas do sentir... Há vinte anos atrás Morei em Moema Logo depois que casei O Bruno, meu primeiro filho, prati...