terça-feira, 27 de junho de 2017

Somos o que sentimos, o que refletimos em outro olhar.



Quando a gente olha não vê o que há por dentro
O que se passa dentro de um coração
A dor, a vontade, o desejo, o sonho,
A história de uma vida.

Talvez a gente não possua todo o entendimento
Algo que chega apenas com o tempo.

Por isso, quando tocar uma alma humana
Possua tato
Fale sem ferir
Ensine com amor
Sinta na pele tudo o que faz.

Somos reflexos de nós mesmos
E se algo incomoda
Abra por dentro e conserte em si mesmo.

Tânia Gorodniuk




Nenhum comentário:

Mudar, nem sempre é sinônimo de prazer.

A mudança nem sempre é prazerosa. A gente tem medo de mudar Até que um dia Depois de um tempo A gente muda sem pensar Num silencioso m...