segunda-feira, 5 de junho de 2017

Solidão, um florescer diferente!


Avenida Sumaré - SP

Mesmo solitária
Não cabe entender
Apenas florescer
A cada amanhecer.

Uma flor que ousou não morrer
Em plena selva de pedra.

A natureza sempre ensina
Que embora a estrada seja deserta
Tudo irá florir na hora certa.
 
É preciso força
Determinação

Coragem e muito amor
Para virar flor.

Tem dias
Que as nuvens aumentam
Que as sombras encobrem a visão
Mas num lampejo
O sol aparece
E a gente esquece a solidão.

Quem fala muito
Nem sempre tem
Mas aprendeu com o tempo
A fabricar o que precisa
Na hora que a falta se faz.


Tânia Gorodniuk





Nenhum comentário:

A felicidade encantada

Esta noite Eu quero uma estrada Que leve o meu sentir Até onde o coração pousa Aconchega E ousa ser feliz. Quero encontrar O que ...