quarta-feira, 17 de maio de 2017

Era uma vez...



Era uma vez
Quando o amor se fez
Chegou no vento
Beijou a alma
E se aconchegou no coração.

Foi assim
Olhares
Palavras
Sorrisos
Encontros
Da amizade surgiu a vontade
De ter um pouco mais...

Do aconchego
Do aroma
Surgiu o desejo de ficar
Abraçar o que fluia
De beijar o que sentia
De aninhar coração com coração.

Foi assim do nada
Que o sentir chegou com tudo
A princípio mudo
Até que gritou...

Era uma vez
Um sorriso que abriu portas
Um olhar que criou janelas
Um beijo que desenhou nas ondas do sentir
O amor.


Tânia Gorodniuk







Nenhum comentário:

Uma carta ao tempo...

Será que vale a pena? Será que alguém entende? Será? Será que as palavras ainda são capazes de levar o que se sente? Será que os ...