quarta-feira, 17 de maio de 2017

A gente doa o que sente...




A gente doa sem querer
A cada olhar um sentir
A cada sorriso um pouco de nós.

A gente doa o que sente
O que vibra no toque
O que provoca e nos faz.

A gente doa uma palavra
Um gesto
Um sorrir
A gente doa por sentir...

A gente doa porque sente

Um toque latente
No corpo presente.

A gente doa
O que flui
O que excede
E não cabe por dentro.

A gente doa
O que aprendeu a cultivar
Luz e amor no ar
No toque suave
No brilho do olhar.


Tânia Gorodniuk






Nenhum comentário:

Uma carta ao tempo...

Será que vale a pena? Será que alguém entende? Será? Será que as palavras ainda são capazes de levar o que se sente? Será que os ...