quarta-feira, 31 de maio de 2017

A gente adora ser enrolado: "mas então", "e daí", blá blá blá blá...




Seria cômico se não fosse verdade
A gente adora ser enrolado
Pagar mais para ouvir um grande blá blá blá.

Lembro bem quando editei o meu primeiro livro, "A diferença é você - mudanças comportamentais em busca do sucesso".

O livro era um manual com dicas de como viver com qualidade de vida sem estresse contendo 100 páginas.

Ao comprar o livro na época com o valor de capa de R$ 25,00, uma pessoa questionou: "mas tudo isto por um livro tão fino?".

Fiquei com aquilo na cabeça, quer dizer que um bom livro se mede pela quantidade de páginas?

Lá fui eu refeltir sobre o assunto.

Quando você oferece um serviço, seja ele qual for, todos acham caro, mas ao fechar o negócio, todos pagam o mais caro.

Triste foi perceber que o mundo procura ser enrolado, adora o muito, como se o muito fosse sinônimo de qualidade, como se quantidade equivalesse a um excelente conteúdo.

Para que perder tempo se a gente pode resumir e otimizar?

No mundo corporativo como se gosta de fazer reuniões, horas intermináveis de discussões que não levam a nada para chegar num ponto comum.

Crie um checklist diário com pontos importantes, utilize a internet para agilizar o processo, nas reuniões seja objetivo com tudo à mão para ser discutido.

Falta organização mental, uma organização diária e principalmente um upgrade dos valores que agregam tanto no âmbito pessoal como profissional.

Hora de reler conceitos e adequar a nova geração que chega com tudo e otimiza para viver bem, com qualidade de vida.

A favor da objetividade, aquela que chega mostra e pronto (ponto).


Tânia Gorodniuk


Nenhum comentário:

Mais amor nas atitudes, nos gestos, no olhar...

O amor não é somente entre duas pessoas que se gostam. Amor é por si mesmo, pela vida, por tudo que nos rodeia. Mais amor nas atitu...