quarta-feira, 19 de julho de 2017

Ah, se meu coração falasse...



Ah, se o coração falasse
Tudo o que por hora sente
Mesmo passado, em tempo presente.

Ah, se ele pudesse
Movimentar as montanhas
Encurtar as distâncias
Fazer o corpo perceber
O que a gente nem vê
Mas sente mesmo sem saber.

Ah, se fosse possível
Decodificar os seus vários sentidos
Em um único olhar.

Quem dera a gente pudesse
Ler nas entrelinhas
Entre sorrisos curtos
Gritos mudos
Silêncios gritantes
O que ele sente a cada pulsar.

Ah, se o coração criasse asas...

Às vezes eu penso que ele tem vida própria
Quando decide em momento como este
Libertar tudo o que sente.


Tânia Gorodniuk




Nenhum comentário:

A minha casa possui asa, quando o vento toca, leva...

Vou contar O que rege a terra O vibra no ar O que no mar profundo Vive Meu mundo. A vida se faz num querer Num sentir Doce Ser...