quinta-feira, 2 de junho de 2016

No compasso do amor



Ela amava
E ele também
Mas cada um à sua maneira
Do seu jeito
Meio diferente.

Ela queria
Tocar o que sentia
Ele gostava
De tocar só quando olhava.

Ela desejava
Um momento a dois
Ele deixava
Sempre para depois.

Até que um dia
Depois de tanta correria
Tantos desencontros
Ambos se encontraram na luz do Luar.

Enquanto um ria
O outro se divertia
E neste riso que iluminava
Reencontraram o que lhes faltava
Tempo para juntos viver
Se divertir
Sem medo de ser
Bobo
Criança
Sem receio de tocar a magia
E libertar a alegria.

O que falta no mundo não é amor
É vontade de estar junto
Porque é gostoso
Amar brincando
Sorrir cantando
Viver sentindo
O que tanto nos faz bem.

Ele amava
Ela também
Num belo dia
Num doce abraço
Redescobriram o compasso do amor.


Tânia Gorodniuk





Nenhum comentário:

Autoconhecimento, é um constante movimento.

Autoconhecimento, é um constante movimento. É um nascer e morrer É um sorrir e chorar É um dormir e despertar É um renascer constan...