sexta-feira, 1 de abril de 2016

Devaneios de uma noite de outono



Será que estamos preparados para abrir mão do que possuímos enraizado na mente, abrindo assim espaço para o novo?

Será que conseguiremos finalmente retirar as amarras da alma e se libertar?

Quando será que a mente poderá se expandir ampliando a visão do todo, uma vez que durante anos ficamos apenas com o olhar focado em um único ponto?

Muitos anseiam pela transformação geral, por um contexto amplo, enquanto o que urge é o olhar mais atento por dentro.

É hora de aparar as arestas, jogar fora o que não mais floresce, semear apenas a luz que conduz na direção certa.

Tem dias que o coração se entristece, a mente cansada emudece, somente a alma ilumina, dá volta por cima e a cada amanhecer diz: vamos ser feliz!


Tânia Gorodniuk




Nenhum comentário:

Somos na união um só sentir.

Somos eternamente luz Num corpo que procura Incessantemente Uma alma nua Que se desfaz cada vez Que os olhares se encontram Que os...