terça-feira, 3 de janeiro de 2012

Uma viagem no tempo passado, presente e futuro.


Sem saber ao certo, ou porque eu segui o meu coração. Entrei no ônibus e fui descansar num lugar que não conhecia. A estrada corria a mente voava sem saber o que eu iria encontrar. Entramos na cidade e meu olhar atento captava tudo, cada rua, cada avenida, cada lugar. Rumo ao hotel eu sentia algo no ar, não sabia que naquele dia a cidade fazia aniversário. Deixei as malas no quarto e fui conhecer a cidade. Não tinha a noção dos lugares, onde ficavam, fui quase instintivamente procurando. A noite fui conhecer a quermesse nas Sete Capelas, lindo. Há tempos não sentia a magia de uma festa de união, de pessoas, de corações, foi muito bom.

Como gosto de caminhar fui preparada para conhecer a cidade com meus pés. Andei por tudo e mais um pouco. Conforme caminhava eu sentia a magia do vento, a beleza das flores, o aroma no ar. Nas avenidas as árvores faziam a gente sorrir, carregadas de flores a beleza gritava. Pode parecer loucura, mas ao caminhar embaixo delas o vento batia e as flores caíam, e eu sorria tamanha felicidade.
Hoje ando por aqui e cada vento que bate e uma flor cai eu lembro e meu coração se enche de alegria só de pensar na magia de Ribeirão. Engraçado porque há anos atrás eu fui dar uma palestra para o CRECI/SP  na cidade, mas foi a noite e voltei logo depois, uma visita rápida. A vida dá voltas e o universo conspira em prol da sua felicidade.

Não sei o que acontece mas o meu sentir é muito forte, os sentidos em mim são latentes. Eu necessito do contato, da percepção para viver. Eu descrevo a cidade pelo tato, visão, olfato, paladar, audição e principalmente a intuição.  Fui conhecer todos os parques Curupira, Carlos Raya, Maurilio Biagi, Roberto Genaro, Zoológico e o Jardim Japonês. Todos tem algo peculiar no sentir, reina na cidade algo espiritual. Quando cheguei ao Jardim Japonês, eu vi, senti e ouvi a divindade me tocar. Fui capaz de ficar por horas sentada sem me mexer, com medo de que o prazer que eu sentia fugisse, foram horas e horas só contemplando, sentindo a magia presente.

As pessoas sentem em mim ao falar de Ribeirão, a boca sorri, os olhos brilham, a alma voa e o coração pula só de sentir este turbilhão de emoções presentes. Eu amo esta cidade como nunca senti algo parecido, não há palavras, apenas um sentir imenso, intenso.

Hoje eu agradeço, a minha vida valeu cada segundo para que eu chegasse aqui e vivesse este momento único, me encontrar em Ribeirão. Há um lugar especial que meu coração me levou, um dia eu conto a história de como cheguei até ele. Um bosque lindo, atrás do Ribeirão Shopping. Quando entrei eu senti que ali havia algo especial. Fui uma, duas, três, quatro vezes até entender a magia deste lugar. Eu senti meu corpo vibrar, os olhos não acreditavam no que viam e o coração sabia que era ali que ele iria ficar. Eu voltei para casa e deixei meu coração em Ribeirão, ali ele espera que um dia eu retorne para buscá-lo.

Falando sobre Ribeirão eu viajei, imaginei um sonho neste lugar e sem perceber a alma voou para lá. A felicidade se espalhou em meu ser e eu agradeci mais uma vez por este sentir que não se explica, como o amor, a gente sente simplesmente e sorri por dentro. Como é bom me sentir assim...

Este vídeo eu fiz como uma homenagem a esta cidade que me fez, faz e fará feliz sempre.




Tânia Gorodniuk





Nenhum comentário:

O que é correto?

O que é correto? Correto é respeitar as normas vigentes. Correto é respeitar o outro em todos os aspectos, gostos, religião...