terça-feira, 27 de setembro de 2011

Livre-se das amarras




Desapega!

Quando elimina raízes liberta as asas e voa...

Por medo
Nos revestimos de uma armadura que nos fecha
E não permite que a gente respire.
Para não mostrar nossas emoções somos duros às vezes e nos machucamos,
Além de ferir quem está perto de nós.

Livre-se das amarras
Permite-se querer
Permita-se cair, levantar,
Sorrir, chorar
Permita-se viver.
Aceite seus limites
Encare suas dificuldades
Enalteça as suas qualidades
E viva de bem consigo mesmo.

Ouse,
Experimente,
Tente ao menos uma vez.

Tenho medo de andar de moto e quando estive em Ribeirão não tive escapatória, precisei andar na marra. Estava com os pés machucados e precisava encontrar um lugar.

Um rapaz chamado Claudio (Moto Táxi) estava me dizendo como chegar e ofereceu para me levar.
No começo recusei, mas ao sentir a dor em meus pés, aceitei.
Não vou dizer que amei, mas experimentei.
Agora posso dizer com propriedade: não gostei,
Mas andei para agora emitir uma opinião mais consistente sobre o assunto.

Não fale o que não sabe, averigue primeiro, conheça o assunto em questão.
A gente vê cara, mas não enxerga no rosto a história de vida de uma pessoa.

Respeite quem está a sua frente, ela nada mais é do que um reflexo seu, pense nisso!

Sempre parta do zero.
Comece lentamente a enxergar o outro.
Com clareza, nitidez, tranquilidade e equilíbrio a gente consegue entender muito mais a vida.

Se ame primeiro, só assim os seus olhos terão a oportunidade de ver o melhor do seu dia.


Liberte o olhar
Deixe o sentir fluir
A vida é feita para um mergulho profundo
Numa descoberta sem fim...



Tânia Gorodniuk





Nenhum comentário:

Hora de esperar... observar e sentir!

A gente fala, fala Enquanto ama Enquanto sente o amor latente A gente se cala Quando percebe que mesmo amando Incomoda Nesta hora ...