sábado, 11 de setembro de 2010

Diamante Bruto



Nascemos um diamante bruto
Ao longo dos anos
Nos adaptamos ao nosso mundo
Batendo de um lado ao outro
Vamos lapidando o nosso ser.

Conhecemos pessoas
Que ajudam neste processo
Umas agregam valores
Outras provocam grandes cortes
E são estes que nos dão um brilho maior.

O nosso âmago ferido
Abre fendas profundas
E mostra o nosso mais precioso valor
A essência interior
Ela é única
Cada um tem a sua
E nestes tombos e solavancos
Adquirimos um novo formato
Uma nova cor
Uma nova luz.

Que possamos agradecer a cada dia quem passou por nós,
Pois foi através deles que a nossa vida mudou
E hoje resplandece em nosso semblante
Em forma de amor.



Tânia Gorodniuk





Uma carta ao tempo...

Será que vale a pena? Será que alguém entende? Será? Será que as palavras ainda são capazes de levar o que se sente? Será que os ...