quarta-feira, 21 de outubro de 2009

Quando nasce um amor



Quando nasce um amor
Que é inabalável
Que tudo suporta
E o coração transporta
Para um lugar impossível
Onde tudo acontece
Quando nasce um amor.

É como um cupido
Que ao atirar sua flecha
Ao coração bate
E as pessoas acerta
Sem querer saber
Se alegria trará
Quando nascer este amor.

É uma emoção que não se espera
Sentimentos de outra era
Como explicar o amor agora
Posso dizer
Que nos leva a outro mundo
Dentro de nós
O sentimento é profundo
Quando chega o amor.

Quando este sentimento chega
Não consigo pensar
Nada se move
Não posso falar
Apenas com os olhos
Fico a admirar
Este amor que envolve
Nossos corações.

Quando nasce,
Quando nasce
Um amor em mim...


Este poema foi inspirado nesta música do Festival San Remo/88, escrito em 06/01/1989.



Tânia Gorodniuk





domingo, 18 de outubro de 2009

Um raio de sol




Faça do seu dia um raio de sol
Nem tudo é como a gente quer
Nem sempre do jeito que a gente sonhou
Mas muitas vezes é melhor do que a gente esperou.

Deixe que a vida lhe pregue surpresas
Viva o melhor que puder
Dê sempre 100% de você
E por excelência a vida lhe presenteará.

Quando não se espera, se recebe
Quando se esquece do problema, ele se resolve
De nada adianta cultivar o estresse
Pois do nada ele desaparece.

Foque no seu objetivo
Foque na sua felicidade
De que o ontem não volta
O amanhã não se sabe
Mas o presente é possível mudar.

O sol brilha para aqueles que o veem
E percebem o seu poder de nos fazer sorrir
Sorrir por viver
Sorrir por amar
Sorrir só por sorrir
Sem medo de errar.



Tânia Gorodniuk







Uma carta ao tempo...

Será que vale a pena? Será que alguém entende? Será? Será que as palavras ainda são capazes de levar o que se sente? Será que os ...